Auditório Ibirapuera – Oscar Niemeyer recebe programação especial para comemorar o Dia das Crianças

01:25:00



Entre os dias 10 e 15 de outubro, toda a família está convidada a celebrar o Dia da Criança com a programação de atividades gratuitas que despertam a alegria e o aprendizado por meio da música, no Auditório Ibirapuera. Confira as atrações que oferecem ao público espetáculos de diferentes gêneros musicais, além do lançamento do projeto Movimento, que busca aproximar a criança, a escola e a família por meio da música e das artes.

No sábado, dia 10 de outubro, às 17h, a Banda Dona Zefinha, do Ceará, une música e teatro no espetáculo O circo sem teto da lona furada dos Bufões. A comédia musical retrata a história de um circo mambembe nordestino tentando sobreviver no midiático mundo contemporâneo. Apresentando canções autorais, as personagens se utilizam de instrumentos inusitados e elementos cênicos para despertar a imaginação da plateia, convidando-a a cantar, dançar e participar de brincadeiras.

O espetáculo traz três palhaços: Bufão, representado por Orlângelo Leal, é o mestre de cerimônia do circo e toca um banjo feito a partir de uma panela de pressão, além de guitarra. Panfeto, na pele de Ângelo Márcio, é o personagem principal da trama que também toca percuteria e está na companhia de Pafim, interpretado por Paulo Orlando. A figurinista do espetáculo, Joélia Braga, é a personagem Filomena, que toca percussão, e Samuel Furtado, interpretando Sr. Serafim, toca tuba, trombone, trompete e violino.

Pequeno Cidadão



No domingo, às 17h, o grupo Pequeno Cidadão apresenta um rock and roll animado para a plateia externa do Auditório Ibirapuera se divertir e aprender. No show, músicas dançantes e animadas trazem temáticas do universo infantil, como alegrias, dúvidas, bichos, desafios, tristezas, cidadania e amor. Um ator circense, Wallace Kyoskys, se encarrega da interação com a plateia antes e durante a apresentação, fazendo acrobacias e malabares.

As canções, que vão do pop ao rock psicodélico, são interpretadas por Edgard Scandurra, do Ira!, Taciana Barro, da Gang 90, Antonio Pinto, produtor de trilhas como Central do Brasil e Cidade de Deus, e por seus filhos, Daniel Scandurra, 27 anos, baixista e filho de Edgard e Taciana, Luzia Barros, 14 anos, filha de Taciana, Estela Scandurra, 11 anos, filha de Edgard e Manuela, e Joaquim, 14 e 11 anos respectivamente, filhos de Antonio. A inspiração para compor sobre os primeiros problemas existenciais do ser humano vem dos filhos, da experiência como pais e também das lembranças de infância.

Obinha no Dia das Crianças
O feriado de Nossa Senhora Aparecida, popularmente conhecido como o Dia das Crianças, na segunda-feira, é comemorado com o concerto da Obinha, às 11h, no foyer da casa. Formada por 32 alunos da Escola do Auditório, entre 12 e 15 anos de idade, o grupo apresenta, sob a regência da maestrina Paula Valente, um repertório com músicas emblemáticas brasileiras, como Tristeza do Jeca, de Angelino de Oliveira, Ó Abre Alas, de Chiquinha Gonzaga, e Asa Branca, de Luiz Gonzaga. Fundada em 2012, a Obinha é uma oportunidade para os jovens estudantes assumirem o desafio de tocar para o público e entender seu espaço dentro de uma orquestra, trabalho embasado na teoria e na prática pela Escola do Auditório.

Música em Família
Na quinta-feira, dia 15 de outubro, às 20h, o Auditório Ibirapuera recebe o show que marca o lançamento do projeto cultural Movimento, realizado pelo Instituto Alana e Música em Família. Em um espetáculo que reúne banda, quarteto de cordas, quinteto de metais, quatro bailarinos e projeção de vídeo, Paula Santisteban e Eduardo Bologna apresentam canções autorais inspiradas no movimento tropicalista, e versões de canções como Geleia Geral, de Gilberto Gil e Torquato Neto, Baby, de Caetano Veloso, e A Minha Menina, de Jorge Ben Jor.

O projeto Movimento procura estreitar relações entre três eixos do processo educativo, a criança, a família e a escola, por meio da música e das artes. Um livro-CD, desenvolvido para as escolas, reflete a importância da livre expressão da criança e tem como inspiração artística a Tropicália. Na versão para as escolas, o material traz poesias, atividades interativas e sugestões de atividades pedagógicas que inspiram gestores e educadores a fortalecerem o protagonismo infantil e a parceria da escola com a família. O projeto lança ainda o CD em versão para o público em geral, que reitera a relevância da música para estimular a interação entre pais e filhos. Nele, canções como Domingo no Parque, de Gilberto Gil, e Alegria, Alegria, de Caetano Veloso, são referenciadas em composições que dialogam com a estética tropicalista.

Sobre a Dona Zefinha
Dona Zefinha é uma companhia cenomusical que surgiu no início dos anos 90 na cidade de Itapipoca, Ceará. A característica marcante do grupo é a mistura de música e comicidade em seus espetáculos, resultado de um trabalho artístico alegre, comunicativo e de total interação com o público. Dona Zefinha aposta num projeto autoral que vai da música de raiz brasileira ao universal, bem como releituras de clássicos da música popular brasileira tratado com bom humor e swing.

O grupo leva na bagagem mais de 20 anos de estrada, tempo suficiente para gerar 11 espetáculos cenomusicais, gravar quatro discos e lançar dois livros. Atuam no elenco Orlângelo Leal, Ângelo Márcio, Paulo Orlando, Joélia Braga, Vanildo Franco e Iranilson de Sousa. Participam também os músicos convidados Samuel Furtado, Tamily Braga, Iago Fernando e Watsom Nascimento. A trupe já circulou em países como Alemanha, Coréia do Sul, Estados Unidos, Hungria, Guiana Francesa, Cabo Verde, Argentina, Colômbia e Portugal. A direção cênica, os textos e as composições são, em sua maioria, de Orlângelo Leal, sendo algumas em parceria com Flávio Paiva, Gustavo Portela, Thais Andrade, Pedro Keiner, João Edson e Gerson Moreno.

Sobre o Pequeno Cidadão
Tudo começou em 2008, quando quatro pais amigos e músicos – Antonio Pinto, Arnaldo Antunes, Edgard Scandurra e Taciana Barros – resolveram gravar com seus filhos. Depois de muita diversão e trabalho no estúdio, em junho de 2009, foi lançado o CD Pequeno Cidadão. Atualmente sem Arnaldo Antunes na formação, o grupo já acumula dois discos, quatro livros, um DVD, um CD karaokê, um CD single e um jornal online. Teve um DVD e um disco finalistas no Prêmio da Música Brasileira em 2010 e 2011, e compôs para trilhas sonoras de novelas infantis como Chiquititas, Carrossel e Patrulha Salvadora, do SBT.

Sobre a Escola do Auditório
A Escola do Auditório está sob direção geral do Itaú Cultural desde 2012, tendo Proveta como Diretor Artístico desde então, cargo que acumula atualmente com a direção artística-pedagógica. A instituição oferece cursos de música brasileira, com duração de cinco anos, a até 170 estudantes da rede municipal de ensino de São Paulo. O objetivo é proporcionar uma sólida formação de música popular, unindo teoria e prática. Na Escola, os estudantes dos diversos grupos, como a Orquestra Furiosa do Auditório, a Orquestra Brasileira do Auditório e o Coro da Escola do Auditório, aprendem a tocar um instrumento, desenvolvem a percepção auditiva e conhecem a história da música brasileira, seus estilos e personagens.

“A história do encontro da música popular brasileira com a música clássica resultou na Escola do Auditório”, explica Proveta. “E os responsáveis por manter essa tradição são os alunos, que estão recebendo a melhor formação possível, com bons professores, que se preocupam com eles não só como músicos, mas como seres humanos melhores”. O projeto contribui para o direcionamento profissional de muitos jovens que desejam seguir a carreira musical, como Danilo Rocha. “Aqui é minha segunda casa”, diz. “Foi quando entrei aqui que conheci um novo ponto de chegada como músico e como pessoa, tendo o Proveta como exemplo de uma maneira única de se relacionar com a música”. A formação não só musical, como também humanística, é o que confere à Escola um lugar tão especial na vida dos alunos e do corpo docente. “Nosso objetivo é este: fazer com que os alunos tenham, cada vez mais, autonomia de voo”, conclui Proveta.

Sobre o Instituto Alana
O Instituto Alana é uma organização da sociedade civil, sem fins lucrativos, que reúne projetos na busca pela garantia de condições para a vivência da plena infância. Criado em 2002, o Instituto é mantido pelos rendimentos de um fundo patrimonial desde 2013. Tem como missão honrar a criança.

Sobre o Música em Família
Idealizado por Paula Santisteban e Eduardo Bologna, Música em Família é um projeto cultural que tem como principal objetivo estreitar relações entre três personagens do processo educativo: a criança, a família e a escola, através da música e das artes. Por meio dos Livros-CDs, as famílias são convidadas a apreciar poemas e canções e resgatar as memórias da infância, para compartilhar com a criança, assim como momentos para cantar, dançar e criar. O projeto existe desde 2003 e já lançou os Livros-CDs Receita de Felicidade (2008), Um para o Outro (2011) e Para Sempre (2013), além dos discos Som da Vida (2007) e Somos Todos Iguais (2007).

SERVIÇO
Banda Dona Zefinha em O circo sem teto da lona furada dos Bufões
Dia 10 de outubro (sábado), às 17h
Duração: 60 minutos (aproximadamente)
Entrada Franca. Distribuição de ingressos na bilheteria do Auditório, uma hora e meia antes da apresentação.
Classificação indicativa: Livre.

Pequeno Cidadão
Dia 11 de outubro (domingo), às 17h
Duração: 90 minutos (aproximadamente)
Entrada Franca. Plateia Externa.
Classificação indicativa: Livre.

Música no Foyer – Obinha
Dia 12 de outubro (segunda-feira), às 11h
Duração: 80 minutos (aproximadamente)
Entrada Franca, por ordem de chegada ao foyer do Auditório Ibirapuera.
Classificação indicativa: Livre.

Música em Família – lançamento do projeto Movimento
Dia 15 de outubro (quinta-feira), às 20h
Duração: 60 minutos (aproximadamente)
Entrada Franca. Distribuição de ingressos na bilheteria do Auditório, uma hora e meia antes da apresentação.
Classificação indicativa: Livre.

Auditório Ibirapuera – Oscar Niemeyer
Capacidade: 800 lugares
Av. Pedro Alvares Cabral, s/n – Portão 2 do Parque do Ibirapuera
(Entrada para carros pelo Portão 3)
Fone: 11.3629-1075
Ar-condicionado. Acesso a deficientes. Proibido fumar no local.
Estacionamentos / Transporte: Estacionamento do Parque Ibirapuera, sistema Zona Azul – R$ 5 por duas horas. Dias úteis das 10h às 20h, sábados, domingos e feriados das 8h às 18h
Ônibus:
Linha 5154 – Terminal Sto Amaro / Estação da Luz
Linha 5630 – Terminal Grajaú / Metrô Bras
Linha 675N – Metrô Ana Rosa / Terminal Sto. Amaro
Linha 677A – Metrô Ana Rosa / Jardim Ângela
Linha 775C/10 – Jardim Maria Sampaio / Metrô Santa Cruz
Linha 775A/10 – Jd. Adalgiza / Metrô Vila Mariana
O Auditório Ibirapuera não possui estacionamento ou sistema de valet. O estacionamento do Parque Ibirapuera é Zona Azul e tem vagas limitadas. Sugerimos que venha de táxi ou transporte público

Horários da bilheteria:
A partir do dia 1º de outubro, a bilheteria terá novos horários:
Não abre de segunda-feira a quinta-feira.
Às sextas-feiras e sábados, passa a funcionar das 13h às 22h
Aos domingos, das 13h às 20h
Ingressos
Sistema Ingresso Rápido, pelo site www.ingressorapido.com.bre pontos de venda espalhados por todo o Brasil.
Formas de Pagamento: American Express, Visa, MasterCard, Dinners Club, Aura, Hipercard, Elo, Vale Cultura Sodexo e Vale Cultura Ticket, todos os cartões de débito e dinheiro. Não aceita cheques.
O serviço de reservas pelo site do Auditório está suspenso temporariamente para adequação ao aumento da demanda e melhor atendimento ao usuário.
Meia Entrada:
- Estudantes: apresentar na entrada Carteira de Identidade Estudantil.
- Professores da Rede Estadual, Aposentados e Idosos acima de 60 anos: apresentar RG e comprovante.
- Menores de 12 anos, acompanhados pelos pais, têm direito a 50% de desconto do valor da inteira, quando Censura Livre.

VOCÊ PODE GOSTAR TAMBÉM