Como evitar a incontinência urinária na gravidez

12:27:00

Quando falamos em incontinência urinária estamos nos referindo a perda de urina involuntária. Seja ela caminhando, tossindo, espirrando ou com aquela urgência de ir ao banheiro e não dar tempo.



Este sintoma apesar de comum não deve ser considerado como normal. Na gestação cerca de 60% das mulheres vai apresentar uma situação de perda de urina. E destas, ainda 30% mantém a perda urinária por até 6 meses após o parto.

E o que isto significa? Que estamos lidando com uma população que não dá a atenção devida ao seu assoalho pélvico.

O assoalho pélvico é um conjunto de músculos que fecham e seguram a cavidade inferior do abdômen. Estamos falando de funções vitais como a continência urinária e fecal, serve de suporte para os órgãos abdominais e para o bebê numa situação de gravidez, além da função sexual e reprodutiva.


Apesar de ser tão  importante quanto outros músculos, ninguém lembra de exercitá-lo.

Em nossa sociedade ainda é tratado como tabu, e 1 em cada 3 mulheres sofre calada por vergonha ou pudor.


E como evitar este problema?

Se você está pensando em engravidar, sugiro que inicie um trabalho de reforço muscular adequado como preparação para suportar o peso do bebê. A gravidez em si é um fator de risco para a incontinência urinária, e não apenas a via de parto ( cesárea ou parto normal) como a maioria das pessoas pensa. Não é a toa que ja na gravidez as mulheres apresentam quadro de perda urinária, sendo que ainda não passaram pelo parto.

O número de gestações consequentemente também adiciona risco potencial.

Alguns medicamentos e o tabagismo contribuem para o enfraquecimento muscular. Quanto antes cortar estes hábitos, mais saudável seu músculo ficará.

Atividades físicas de impacto são contra-indicadas também, prefira exercícios localizados que promovam reforço muscular.

Ao evacuar evite ficar "fazendo força" para as fezes sairem. Esta força gera uma sobrecarga grande no assoalho pélvico.

Manter uma alimentação saudável é fundamental! Tanto para o bom funcionamento do intestino, quanto para evitar o sobrepeso. O excesso de peso corporal também é um fator de risco adicional!

O Pilates se bem orientado é uma excelente opção para quem quer fortalecer o corpo como um todo, incluindo o assoalho pélvico. Já o Pilates Funcional Mother Fit® além de prevenir a incontinência urinária, também faz preparação específica para o parto normal.

Em caso de dúvidas ou em qualquer destas situações, seja ela pré-gestação, gestação ou pós-parto é fundamental passar por uma avaliação com fisioterapeuta especializado para orientações específicas e adequadas a cada caso.

Mariana Mazzei

Fisioterapeuta

Www.motherfit.com.br



VOCÊ PODE GOSTAR TAMBÉM