Como seus filhos brincam ?

02:06:00

Um estudo global lançado no Brasil demonstra que a quantidade de tempo que as crianças passam brincando livremente está em declínio, e que atualmente a maioria delas passa menos tempo ao ar livre que um presidiário[1].


Realmente eu fiquei chocada quando vi essa frase.

E pensei imediatamente se meus filhos se encaixavam nesse perfil .  E sim por mais que eu não queira admitir eles se encaixam.

Em média, as crianças passam, por dia, uma hora ou menos ao ar livre.

Moro em casa , e na rua nem possibilidade de brincadeiras por ser movimentada com muitos carros. Ainda bem que tenho quintal , mas eles estudam a tarde isso significa que acordam tarde .

A Manu durante dois dias tem aulas de ballet e o Tuco vai com ela um dia para a aula de tennis, o que significa que o tempo nesse percurso já ocupa esse tempo.


Como são irmãos percebo que mesmo brigando preferem brincar juntos, ele principalmente. Então a sexta de manhã são sempre de muitas brincadeiras.

E no fim de semana sempre procuramos locais públicos como parques para que possam brincar e aproveitar o ar livre.

Não estão distantes da minha infância, porque desde pequena tive de assumir a responsabilidade de ficar com meus irmãos enquanto minha mãe trabalhava fora.

Mas com certeza eles tem novas oportunidades e vivem em um mundo diferente da minha realidade na infância.

Sempre procuro não deixar com que tv e tablet fiquem disponíveis durante a manhã e de noite a tv é do pai. E isso nunca foi uma barreira para o estímulo do brincar livremente.



Sir Ken Robinson, especialista em educação, criatividade e desenvolvimento humano e presidente do Conselho Consultivo de OMO para o Desenvolvimento da Criança, comenta: “Há um preocupante desequilíbrio surgindo no brincar. As telas podem ser uma importante fonte de educação e entretenimento, mas a criança precisa brincar de diversas formas para exercitar plenamente a mente e o corpo e para, a partir dele, aprender sobre o mundo à sua volta. Permita que as crianças brinquem de forma segura, mas livremente, usando estruturas simples, e você ficará surpreso com a capacidade que elas têm de empreender, imaginar e criar. Temos que garantir um espaço para o brincar livre na vida de nossas crianças, para enriquecer seu desenvolvimento agora e ajudá-las a se tornarem adultos bem equilibrados, prósperos e felizes”.


Para chamar a atenção para o déficit do brincar livre, OMO criou o instigante filme “Libertem as Crianças”, que ilustra nitidamente este desequilíbrio. O filme foi rodado em uma prisão de segurança máxima nos EUA, e mostra presidiários falando sobre o que o tempo ao ar livre significa para eles. O intuito foi trazer os dados da pesquisa “Valor do Brincar Livre” para a realidade, por meio de uma comparação metafórica que provocasse uma reflexão sobre a importância do brincar livre.
#LivreParaDescobrir

É por isso que OMO lançou no Brasil, dentro da sua plataforma de causa “Se Sujar Faz Bem”, o movimento #LivreParaDescobrir: um compromisso da marca com o reequilíbrio nos hábitos das crianças. Em parceria com pais, educadores e especialistas em desenvolvimento infantil, a marca está investigando e disseminando as melhores maneiras de estimular as crianças a brincar, explorar e se sujar todos os dias, para que possam descobrir, aprender e se desenvolver em todo o seu potencial.

Para transmitir essa mensagem, lança também um filme Manifesto para inspirar os pais.

Assista clique aqui

Junte-se ao movimento #LivreParaDescobrir. Visite www.SeSujarFazBem.com.br, encontre dicas para “libertar” suas crianças e ideias de atividades baseadas no aprendizado pela brincadeira.


SOBRE A PESQUISA “VALOR DO BRINCAR LIVRE”


A pesquisa foi conduzida pela Edelman Berland, uma empresa independente de pesquisa de mercado. As entrevistas foram feitas entre fevereiro e março de 2016, com 12.170 pais de crianças entre 5 e 12 anos. 10 países participaram: Brasil, Inglaterra, Estados Unidos, Turquia, Portugal, África do Sul, Vietnã, China, Indonésia e Índia. A pesquisa, entre outros dados, aponta fatores que despertaram a atenção dos nossos especialistas e embasam o movimento #LivreParaDescobrir:
1. Os pais reconhecem a importância do brincar
•98% dos pais brasileiros concordam que as brincadeiras permitem que as crianças se tornem adultos melhores. (Dado global: 96%).
•94% dos pais brasileiros acreditam que, sem oportunidades para brincar, a aprendizagem das crianças pode ser prejudicada. (Dado global: 93%).
•98% dos pais, globalmente, acreditam que brincar livre ajuda crianças a desenvolverem habilidades importantes
•87% dos pais acreditam que as crianças deveriam brincar mais (Dado global 84%)
2. O brincar livre, espontâneo, sem regras ou direcionamentos está em declínio, especialmente o brincar ao ar livre:
•63% dos pais no Brasil acreditam que seu filho tem menos oportunidades para brincar do que eles tinham quando eram crianças. (Dado global: 64%).
•84% das crianças brasileiras brincam ao ar livre durante 2 horas ou menos em um dia. (Dado global 81%).
•40% das crianças no Brasil têm uma hora ou menos por dia ao ar livre. (Dado global: 56%).
•6% das crianças nunca brincam ao ar livre em um dia normal. (Dado global 8%)
3. Os motivos para o declínio do brincar são diversos:
•Metade dos pais diz não contar com ambientes amigáveis onde seus filhos possam brincar. (Dado global: 40%)
•95% dos pais concordam que conforme a tecnologia fica mais popular, as brincadeiras tradicionais estão desaparecendo (Dado global 92%)
•85% dos pais concordam que as crianças normalmente não querem brincar sem tecnologia (Dado global: 78%)
•9 em cada 10 pais dizem que seus filhos preferem esportes virtuais a esportes na “vida real”. (Dado global: 81%).




Vamos pra Rua digo Para o Parque ou Play ou Quintal brincar muito !!

Sampa Abraços

VOCÊ PODE GOSTAR TAMBÉM