Blog Parceiro Paulinas Editora

18:44:00

A felicidade de quem ama livros é ganhar livros, e nós ficamos muito felizes em anunciar que mais um ano seremos parceiros da Paulinas Editora e vamos mostrar para vocês tudo que recebermos!



Dá uma olhadinha nos lançamentos desse mês:


- Cabe... (Fê) – Infantil - 
Com texto descontraído e ilustrações divertidas, a criança vai descobrir que na barriga de um gatinho guloso cabe tudo o que sua imaginação quiser. O livro é um convite à diversão, à criatividade e ao lúdico.


- Eu nunca vi um anjo: curas, milagres, templos e hospitais (Pe. Zezinho, scj) – Espiritualidade - Neste livro, Pe. Zezinho se ocupa dos anjos de carne e osso: profissionais de saúde que, solícitos, tratam do corpo das pessoas quando precisam ser hospitalizadas. Trata-se de reflexões acerca da fragilidade e da finitude humanas, dos médicos que usam sua experiência para tentar curar seus clientes enfermos, dos enfermeiros que tentam amenizar, com suas habilidades, os sofrimentos dos pacientes aos seus cuidados, dos cientistas, que usam seus conhecimentos para criar novos fármacos. Em alguns textos aborda questões difíceis, como o aborto, o abandono, o uso de drogas, o culto ao corpo que leva a extremos, a corrupção que deixa doentes empilhados nos corredores hospitais à espera de médicos ou cuidados que não vêm. A esses dilemas, responde segundo a doutrina da Igreja e sua consciência de cristão. Escreve também sobre as perspectivas e esperanças, sobre a graça e a resignação que Deus dá, sobre milagres e também de enfermidades fatais, sobre a realidade do viver, do sofrer e do morrer sabendo que existe um depois.

- Era uma vez um cabelo (Andressa Pedras, Beatriz Santos) – Saúde/Superação/Depoimentos - 

O livro apresenta as histórias de pacientes com Alopecia Areata, doença autoimune que causa a queda de cabelos e pelos do corpo. As autoras abordam diversos aspectos da doença, como o preconceito, o diagnóstico, os tratamentos, a questão da autoestima decorrente de um problema estético e a importância de um acompanhamento psicológico, sob a forma de participação em grupos de apoio ou terapia individual. Da leitura dos relatos depreende-se que se trata de uma doença pouco conhecida por ser muito pouco divulgada. Vários pacientes narram a dificuldade em encontrar o diagnóstico correto, as informações confusas e esparsas encontradas na internet. Tendo em vista que os tratamentos disponíveis são apenas paliativos e muitas vezes não apresentam resultados, a publicação pode ajudar os pacientes e seus familiares a conviver melhor com a doença e defender-se de eventuais preconceitos. O texto é bastante informativo, mas de leitura fácil, para todos os públicos.

- Um mês com a Rainha do céu (Francisco Eduardo de Souza Santo, Ivonete Kurten) – Religioso - 

Este livro aprofunda e atualiza o conteúdo da oração Salve Rainha, nos seus aspectos bíblico, teológico e pastoral e mostra o lugar de Maria no projeto de nossa Salvação. O mês de maio festejado na Igreja Católica como mariano é uma excelente oportunidade de missão para a Igreja. Maria é a Mãe, que visita todas as comunidades e famílias. É um tempo oportuno para o anúncio de Jesus Cristo. Desde pequenos aprendemos a dizer: "Salve, Rainha, Mãe de Misericórdia", e como é importante para a nossa espiritualidade saber que em meio a tantos sofrimentos e crises de todos os tipos, podemos contar com o olhar materno e a proximidade de uma Mãe que nos enche de esperança e renova nossa fé naquele que é o Senhor de todas as coisas e conduz a nossa vida. Para cada dia do mês, o livro apresenta uma expressão da Salve Rainha, um texto bíblico, uma breve reflexão e uma oração.

A Antonella Napoli, autora de “O Meu Nome É Meriam” vem para o Brasil em abril.


Meu nome é Meriam (O) - Condenada à morte por ser cristã - Antonella Napoli

O livro narra o caso de Meriam Ibrahim Ishag, uma jovem cristã, condenada a cem chibatadas por adultério, por ser casada com um cristão, e à morte por enforcamento por recusar-se a renegar a sua religião. Denunciada por um suposto meio-irmão, a quem nunca antes vira, seu julgamento mobilizou ativistas ligados aos direitos humanos, levando a notícia a jornais, televisão e redes sociais, na esperança de influenciar a decisão do tribunal.
Mãe de um menino de um ano e meio, Meriam estava grávida e deu à luz à pequena Maya na prisão, acorrentada, enquanto seus advogados preparavam um recurso ao Tribunal de Segunda Instância e a jornalista italiana Antonella Napoli entrava novamente em ação, relançando a campanha pela sua libertação, envolvendo políticos e voluntários em defesa dos direitos humanos. 
Meriam nunca pensou em se tornar um símbolo, mas sua postura, decidida a enfrentar qualquer pena para defender sua dignidade e proteger a liberdade de escolher e crer na própria religião, serve de exemplo e alimenta a fé de todos que sofrem perseguições e violência devido à intolerância religiosa.


Continuem acompanhando, teremos ótimas resenhas em breve!!

VOCÊ PODE GOSTAR TAMBÉM