Música de Brinquedo com Pato Fu

18:03:00

Se gravar todo um disco só utilizando instrumentos de brinquedo, miniaturas e coisas do tipo foi uma tarefa complicada, levar isso aos palcos parecia uma missão impossível. Os brinquedos quebram, desafinam ou simplesmente se recusam a funcionar na hora certa. Sem falar na dificuldade técnica de se tocar e até mesmo de se captar o som baixo que emitem. Mas aos poucos, foram aparecendo soluções para todos os problemas.


O Pato Fu - DVD/CD "Música de Brinquedo Ao Vivo". É o registro em show do repertório do CD gravado em estúdio em 2010, recheado de sucessos do universo pop, acrescido agora de versões "de brinquedo" de canções do próprio Pato Fu e outras surpresas. O que já era desconcertante num projeto tão improvável (também como sucesso comercial, alcançando o "disco de ouro" por mais de 40.000 cópias vendidas nesses “tempos difíceis”) ganha sua versão visual - talvez a definitiva, pois aqui fica tudo explicado.

Os brinquedos mais resistentes e "tocáveis" foram ganhando espaço. Microfones foram sendo adaptados e outros músicos (Thiago Braga e Mariá Portugal) foram convidados, pois a banda não queria usar bases nem samples - tudo teria que ser tocado ao vivo mesmo.
E o maior dos problemas teve a melhor solução: as crianças que cantaram no CD (que obviamente não poderiam entrar numa turnê junto com a banda) foram substituídas por dois monstros, dois "muppets" criados pelo Teatro de Bonecos Giramundo, de Belo Horizonte. O Giramundo é um grupo com um incrível repertório de peças e bonecos, criado há mais de 40 anos, com várias aproximações com o Pato Fu ao longo dos anos. E assim nasceram Groco e Ziglo, a dupla de vocalistas, manipulada pelos mesmos atores que fazem suas vozes ao vivo.

Quantos brinquedos estão no palco? Já perderam a conta. Alguns estão ali pra serem usados em um único momento, de modo quase imperceptível, pra preencher um espaço sonoro de modo sutil. Já outros, roubam a cena como o fantasminha da Fernanda ou a indefectível galinha do John. Uma "mesa de atividades" repleta de brinquedos, microfones e plugs dá a dimensão da encrenca. É preciso ser mais que "músico" pra saber o que fazer ali. Ou talvez esquecer o que é ser músico e, simplesmente, botar pra quebrar nos brinquedinhos de plástico. O baterista Xande Tamietti está inacreditável em sua micro bateria, tirando mais som do que muitos músicos tiram de seus instrumentos profissionais de gente grande. Lulu Camargo, numa seriedade heróica debulhando um pianinho de brinquedo nos lembra o Shroeder de "Peanuts". Ricardo Koctus abusando de uma precisão milimétrica em seu baixinho. Fernanda Takai e John Ulhoa tocando vários instrumentos, fazendo efeitos visuais e entretendo a plateia com as típicas abobrinhas patofunianas, só que potencializadas pelo pitoresco da situação. E na mesa de atividades, Mariá e Thiago tocando os instrumentos mais improváveis do mundo.

Na plateia, adultos e crianças. Cada um se diverte ali por um motivo diferente. Leigos misturados a músicos curiosos pra saber como os "patofus" lidaram com o desafio que é tocar com brinquedos versões inacreditáveis para músicas "cabeludas" como Bohemian Rhapsody, do Queen. E fãs novos e antigos da banda. Em cada canto do palco algo inusitado. Se você captou um detalhe, provavelmente perdeu outro. Vai ter que assistir de novo.

Música de Brinquedo Pato Fu e Giramundo

Ingressos de R$ 40 a R$ 140
50% de desconto para cliente Bradesco na compra de até 4 ingressos
https://www.ingressorapido.com.br/

Sábado 17 de junho às 20h

Teatro Bradesco SP
Rua Palestra Itália, 500 - Perdizes
São Paulo-São Paulo

VOCÊ PODE GOSTAR TAMBÉM