No Livro, Tudo Tem!

A peça traz à cena um país fictício chamado Penúria. Certa vez, a maior biblioteca do país teve suas portas fechadas, para que os livros fossem investigados pelo Capitão Bigode de Limão e sua tropa.

A missão era determinar quais livros poderiam ou não ser lidos pela população. O Sr. Formicarius, o velho bibliotecário apaixonado pelos livros, não admitia que um livro sequer fosse proibido. Na busca por fazer o capitão mudar de ideia, contou com a ajuda de suas velhas companheiras, as Traças. Do lado de fora, as crianças não se conformavam com a interdição da biblioteca. O que será que vai acontecer? Será que os livros serão proibidos?

De forma divertida e lúdica, os artistas incentivam com este espetáculo a leitura e a imaginação. Dos livros saem rainhas e navios, e entre músicas criadas especialmente para a peça, o público pode viajar e curtir esta grande aventura, saindo com a certeza de que, “No livro, tudo tem!”.

 Sobre a montagem

Para a criação do espetáculo, Carlos Escher partiu de estudos teóricos sobre leitura na infância para estimular a pesquisa do tema: porque se lê tão pouco e como estimular o contrário nas crianças, utilizando o teatro como ferramenta? Instaurou nos ensaios uma prática coletiva em que elenco, direção, cenografia, figurino, preparação musical e preparação corporal se relacionassem, contribuindo e criando juntos, tendo como base os métodos de atuação de Stanislavski e Brecht. Dentre algumas das referências para este trabalho estão as histórias de tradição oral e as histórias sobre pirataria; autores como Luís da Câmara Cascudo, Italo Calvino, Voltaire, Cervantes; e os filmes de Charles Chaplin e Dr. Fantástico, de Stanley Kubrick. Referências estas que se transformaram em provocações para as improvisações e experimentos cênicos, com base nos quais produziram a dramaturgia do espetáculo.

A cenografia criada por Gabriel Stippe traz para o palco o universo da biblioteca, com livros espalhados pelo palco. Dos livros saem o mar, barcos, piratas e até uma rainha. O trabalho com o figurino, realizado por Cássio Brasil, partiu de um estudo sobre roupas e indumentárias usadas pela guarda real, e conta com fardas, botas e quepes. Com a intenção de chegar a um figurino lúdico, Cássio optou pela confecção de roupas originais, que dialogam diretamente com a peça e com o universo da criança.

As canções executadas durante a peça são um espetáculo a parte. Com letras que contribuem para a narrativa, elas entram em cena como se fossem brincadeiras, divertindo e convidando e estimulando o público a imaginar o fundo do mar, tempestades e fogos de artifício. A direção musical de Gabriel Stippe partiu de sonoridades dos anos vinte e trinta, sobretudo as trilhas de Charlie Chaplin, e criou letras e arranjos exclusivos, utilizando instrumentos como kazoos, apitos, violão, acordeon e alguns outros construídos com sucata.



No Livro, Tudo Tem!
Dia 26 de maio, às 15h
Evento Gratuito (Retirar ingressos com 01h de antecedência)

Classificação: Livre

Tendal da Lapa
Rua Guaicurus, 1.100 – Água Branca
Telefone: 11 3862-1837
Estacionamento: Grátis (Rua Constança, 72)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Adbox

Sampa Com Crianças no Instagram