Fim de Semana em Família no Itaú Cultural promove oficina e espetáculo

Nos dias 10 e 11 (sábado e domingo), o Itaú Cultural dedica não somente o Fim de Semana em Família para o público infantil, como também a mostra de cinema Cine Curtinhas. Nos dois dias e nos mesmos horários, a programação tradicional para as crianças e seus acompanhantes é conduzida pelo grupo As Meninas do Conto. Ela gira em torno da técnica da fiação, processo de criação de fios, novelos e tecidos, com a oficina Trama Livre, às 14h, e a apresentação do espetáculo As Velhas Fiandeiras. Encerrando o programa, às 17h, começa a sessão de filmes para o público infantil na Sala Itaú Cultural, com exibições de curtas animados acessíveis em Libras.

Acompanha toda essa programação, o tradicional Cantinho da Leitura e a Feirinha de Troca. Ambas as atividades ficam à disposição do público no piso térreo, a partir das 11h30, com o objetivo de despertar o interesse das crianças para a leitura. Acontece também, no domingo, 11, às 12h, a contação de história, Histórias para Crianças, com a autora Ana Luisa Lacombe.

Fim de Semana em Família
A fiação é uma técnica usada para criar, a partir de lã ou do algodão, fios, novelos e, por fim, tecidos. Antigamente todas as etapas dessa produção eram realizadas artesanalmente. Hoje, com o avanço da tecnologia, os tecidos são feitos por máquinas em fábricas. A ideia da oficina Trama Livre é resgatar a tradição e ensinar às crianças e seus acompanhantes como se faz esse processo manualmente, por meio do crochê com fio de malha.

Em diálogo com a oficina, o espetáculo apresentado na sequência, As velhas Fiandeiras, conta a história de uma menina que não gostava de fiar, por mais que sua mãe mandasse. Baseada nos contos As Fiandeiras, dos irmãos Grimm, e As Três Velhas, de Luís da Câmara Cascudo, a obra é baseada na técnica dos Bufões – espécie de bobo da corte – mantendo um olhar crítico e debochado sobre o mundo.

A trama se desenrola com a ida da garotinha ao palácio da Rainha, onde se vê obrigada a fiar uma grande quantidade de lã e, com a ajuda de três velhas estranhas, consegue mudar seu destino e conhecer um outro lado do oficio. A figura das três personagens é bem explorada pelo grupo com a composição de humor, poesia e musicalidade.

Com este espetáculo, As Meninas do Conto conquistaram o prêmio APCA 2004, na categoria de Melhor Espetáculo Infantil, e os prêmios Coca-Cola FEMSA, na mesma categoria e também como melhor música e texto. O grupo foi fundado há quase 20 anos e é pioneiro na junção das linguagens do teatro e da narração de história. A pesquisa teve início em 1995 e, desde então, elas não pararam mais de contar história e de se apresentar em teatros, bibliotecas centros culturais e escolas.

Cine Curtinhas
Com 13 curtas-metragens brasileiros de animação, a mostra de filmes Cine Curtinhas tem a proposta de estimular o contato das crianças com o universo do cinema, além de promover a produção cultural do país. Todas as produções contêm interpretação em Libras, permitindo que os públicos surdo e ouvinte possam desfrutar da mesma maneira a programação. As obras são realizadas com as mais variadas técnicas, desde as tradicionais até as mais modernas, e abrangem produções Bahia, Espírito Santo, Rio Grande do Sul, Rio de Janeiro e São Paulo.

Entre mil histórias, os filmes levam o espectador mirim a viajar por planetas imaginários, em No Caminho da Escola, acompanhar as peripécias de um papagaio, em As Aventuras do Chauá, ou a compartilhar as aventuras de Werá, um curumim da aldeia krukutu, que rouba a pena de uma coruja no dia de seu rito de passagem e é transformado no monstro das garras grandes, em Awa Poanpé. Nesta edição, os filmes têm interpretação em Libras.

Confira a programação completa e as sinopses das produções:

Sábado, 10 de novembro, a partir das 17h

O Menino Cabeça-de-flor (Bahia, 2017)
A produção de Vanessa Heeger, inicia as exibições com a história do menino que tem flores nascendo na cabeça e sofre bullying dos colegas da escola logo no primeiro dia de aula.

No Caminho da Escola (Espírito Santo, 2016)
O projeto animação desenvolveu com seus alunos o curta sobre a viagem alucinante de uma sonhadora menina por planetas imaginários que a faz perder a primeira aula na escola.

Brinquedo novo (Rio de Janeiro, 2017)
Rogério Boechat apresenta a amizade entre o bebê e seu novo brinquedo. Um ursinho de pelúcia que passa por poucas e boas para se manter ao lado do parceiro.

Os segredos do Rio Grande (Espírito Santo, 2017)
Analúcia Godoi e os alunos do Projeto de Animação, são os responsáveis pelo enredo que enaltece a beleza do rio Grande, além de conscientizar sobre preservação e seus benefícios.

Lé com Cré (São Paulo)
Todas as coisas de crianças, desde brincadeiras, estripulias, medos e gastos, são contadas de um jeito fofo e esquisito pela própria garotada na animação de Cassandra Reis.

O Caçador de Árvores Gigantes (Rio Grande do Sul, 2016)
Encerrando o primeiro dia, o público assiste ao curta de Antonio Pereira. Desbravando o quintal de sua casa, um menino descobre um mapa que revela o destino das árvores vendidas para os reis no céu. E para resgatar essas belas árvores, ele e seu amigo partem para uma grande aventura.

Domingo, 11 de novembro, a partir 17h

Onça Pintada (São Paulo, 2018)
Marcos Faria exibe o videoclipe do DVD Zoró dos Bichos Esquisitos, de Zeca Baleiro.

Brincando entre Estrelas (Rio de Janeiro, 2016)
No curta de Marcelo Salerno, a menina Celeste e seu companheiro de aventuras, o gatinho Mourão, contemplam as estrelas no céu. Juntos, imaginam o que significam as diferentes formas das várias constelações, para eles e para os habitantes de outros países.

Malu Moletom (São Paulo, 2016)       
Ricardo Carelli, Fábio Acorsi exibem um curta sobre Malu e um simpático gigante que vive nas cavernas sob a cidade e sente muito frio logo que a noite cai. Eis a origem dos estranhos tremores que abalam os habitantes logo acima.

Lipe, Vovô e o Monstro (Rio Grande do Sul, 2016)     
Felippe Steffens e Carlos Mateus retratam as histórias de avô e neto durante uma pescaria no sítio. O menino conhece um segredo e acaba fazendo uma nova e inusitada amizade.

Awa Poanpé (São Paulo, 2016)
O curta metragem em animação de Julia Vellutini surge de um processo colaborativo com um grupo de jovens da Aldeia indígena Krukutu em Parelheiros, São Paulo. A obra conta a estória de Werá, um curumim da aldeia krukutu, que ao roubar a pena de uma coruja no dia de seu rito de passagem, é transformado no monstro das garras grandes.

O Filho do Vento (Rio de Janeiro, 2018)
Janine Rodrigues e Boni contam falam sobre o caminho, perdas, achados e nascimento das amizades por meio da história de um menino que não conhecia suas raízes e não sabia quem eram seus pais. Assim, na belíssima fantasia de criança, ele instituiu que era filho do vento para não se sentir mais sozinho. Mas tudo muda quando outro menino, com uma vida muito diferente e muito mais abastada e juntos percebem que suas habilidades e seus dons podem servir para um ajudar o outro.

As Aventuras do Chauá (Espírito Santo, 2016)
Encerrando a programação, mais uma vez, os alunos do projeto animação levam para o público uma produção, dessa vez sobre as aventuras do papagaio Chauá que vive sozinho no meio da mata virgem.

Sobre o Cantinho da Leitura e a Feirinha de Troca
O Cantinho da Leitura e a Feirinha de Troca estão abertos ao público a partir das 11h do sábado e do domingo. Na Feirinha, os pequenos podem trocar uma obra infantojuvenil – como livro, gibi e DVD – por outra do mesmo tipo, escolhida entre os materiais disponibilizados pelo instituto.

No Cantinho, estão disponíveis 30 publicações do acervo infantojuvenil da Biblioteca do Itaú Cultural. Uma oportunidade para novos aprendizados e descobertas, que, neste mês, destaca o trabalho da escritora e ilustradora mineira Angela Lago (1945-2017). A autora possui diversas obras contendo ilustrações e textos próprios, ilustrações de livros para outros autores nacionais e internacionais.

Sobre Ana Luisa Lacombe
Atriz, contadora de histórias, escritora e figurinista. Carioca, radicada em São Paulo, atua desde 1980 como atriz e, com o passar dos anos, foi ampliando sua área de atuação. Desde 2002 vem se interessando e pesquisando o trabalho de narração de histórias associando-o à sua experiência no teatro. Sua trajetória rendeu prêmios e as seguintes publicações: Acender Um Fogo – O Jogo e o Teatro na Escola, A Árvore de Tamoromu (ganhador do Prêmio de Melhor Reconto pela FNLIJ), Teia de Experiências – Reflexões sobre a Formação de Contadores de Histórias (organização). Em 2015 lançou Pedalando, Pedalendo, Pedalindo e Quanta história Numa História!, ganhador do PROAC Edital para edição de publicações do Governo do Estado de São Paulo.

Fim de Semana em Família

10 e 11 de novembro
Às 14h
Oficina Trama Livre
Duração: 90 minutos
Classificação indicativa: Livre (Melhor indicado a partir de 8 anos)
Sala Multiuso (Piso 2)
Capacidade: 20 crianças com um acompanhante cada
Entrada gratuita
Inscrições a partir das 13h30
Interpretação em Libras


Às 16h
As Velhas Fiandeiras
Duração: 50 minutos
Classificação indicativa: Livre
Sala Multiuso (Piso 2)
Capacidade: 70 lugares
Entrada gratuita
Distribuição de ingressos a partir das 14h
Interpretação em Libras


Cine Curtinhas
10 e 11 de novembro
Às 17h
Duração: 40 minutos
Classificação indicativa: Livre
Sala Vermelha (Piso 3)
Capacidade: 70 lugares
Entrada gratuita
Distribuição de ingressos a partir das 13h30
Interpretação em Libras


Das 11h às 16h30
Cantinho da Leitura e Feirinha de Troca
Classificação indicativa: Livre
Piso térreo

11 de novembro
Às 12h
Histórias para crianças
Classificação indicativa: Livre
Piso Térreo
Entrada gratuita
Interpretação em Libras


Itaú Cultural
Avenida Paulista, 149, Estação Brigadeiro do Metrô

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Adbox

Sampa Com Crianças no Instagram