O que é Música para Crianças? grátis no Centro de Música do Sesc SP

De forma gratuita, e sem necessidade de inscrição, a série O que é Música para Crianças busca incentivar a discussão e curiosidade no tema, com propostas de playlists no Spotify e Deezer de um repertório escolhido especialmente para o público infantil, com músicas de diversos gêneros, estilos e épocas, em diferentes recortes. A série vai do dia 29/11 ao 20/12, com postagens sempre aos domingos, às 11h.


As atividades serão ministradas por educadores do Sesc e outros profissionais convidados, em formato híbrido, com atividades coletivas na plataforma Zoom e conteúdos compartilhados via redes sociais do Sesc São Paulo, voltadas para públicos com diferentes níveis de conhecimento musical. As atividades presenciais do Centro de Música do Sesc permanecem suspensas.


O que é música para crianças
Com Educadores do Centro de Música
De 29/11 a 20/12. Domingos, 11h.
Plataforma: Facebook, Instagram, Deezer e Spotify
Vagas: aberto.
Público: pais e filhos.
Valores: Grátis
Inscrições: Não há

Série de playlists no Spotify e Deezer, elaboradas pelos educadores dos Centros de Música, com o intuito de incentivar a discussão e curiosidade no tema. O repertório escolhido contempla músicas de diversos gêneros, estilos e épocas, em diferentes recortes. A intenção é promover a expansão da paisagem sonora das famílias, e o aprofundamento do vínculo entre pais e filhos. Como complemento serão indicadas em postagens informações para uma escuta guiada.



Com o princípio de que a música é parte da formação humana, o Centro de Música do Sesc São Paulo, hoje presente nas unidades Consolação, Guarulhos e Vila Mariana, expandiu sua ação para o ambiente digital. No mês de outubro e novembro, foram lançadas 22 atividades online; em dezembro, cinco opções estarão disponíveis. As aulas, palestras e workshops serão ministrados por educadores do Sesc e outros profissionais convidados, em formato híbrido, com atividades coletivas na plataforma Zoom e conteúdos compartilhados via redes sociais do Sesc São Paulo, voltadas para públicos com diferentes níveis de conhecimento musical. As atividades presenciais do Centro de Música do Sesc permanecem suspensas.



Abaixo, os cursos do mês de dezembro que acontecem pela plataforma Zoom e que têm inscrições antecipadas, disponíveis a partir de 25/11 (Credencial Plena) e 26/11 (todos os públicos) em sescsp.org.br/centrodemusica, com valores que variam entre R﹩10,50 e R﹩55, em parcelas únicas.

Voltado para estudantes, pesquisadores, professores de música e interessados em geral, o Workshop de Frevo com o Maestro Spok traz um panorama sobre os principais aspectos que caracterizam o gênero como parte da identidade cultural pernambucana. Dividido em três encontros, o curso traz, no primeiro dia, a história do Frevo, suas principais raízes musicais e as diversas modalidades. No segundo dia, o Maestro aborda as peculiaridades musicais do frevo, fazendo uso de partituras contidas em seu livro. E no terceiro, o público vai conhecer mais sobre a SpokFrevo Orquestra, sua formação e história, que levou a turnês internacionais nos maiores festivais de jazz do mundo e à visita de Wynton Marsalis com a Jazz at Lincoln Center a Recife. Maestro Spok, há quase 20 anos instrumentista, arranjador e diretor musical da SpokFrevo Orquestra, é uma das maiores referências do Frevo na atualidade. Na área da educação, o maestro mantém, há três anos, o Instituto Passo de Anjo, na sua cidade, Abreu e Lima, com aulas de música, dança, artes cênicas e canto. Os encontros acontecem dias 01, 03 e 08/12, terças e quinta-feira, das 19h às 20h30.

No dia 11/12, sexta-feira, às 20h, acontece o encontro Gêneros Musicais, com o professor e escritor Márcio Guedes. O que está por trás de conceitos como samba, choro, baião, jazz, pop ou rock? Quando e por que uma prática musical pode ser classificada como um gênero? O que é gênero musical? Buscando refletir sobre essas e outras questões quanto ao conceito de gênero em música, Márcio Guedes faz uma abordagem interdisciplinar sobre as práticas musicais nos âmbitos da música popular e erudita. Com doutorado pela Unesp, Guedes é coorganizador e coautor dos livros "Protagonistas do ensino musical e suas trajetórias" (Ed. Cartago, 2018) e "Anais do Primeiro Encontro Científico de Música e Interdisciplinaridade: O Híbrido no ensino e nas atividades artístico musicais" (Cultura Acadêmica, 2015).

Voltada ao mundo da música de concerto, a série Conhecendo o Estudo N. 1 de Villa-Lobos, com Mayki Fabiani, traz luz a conceitos históricos e práticos a respeito da obra, oferecendo uma orientação didática e prática sobre uma das peças mais icônicas para violão clássico. O curso busca detalhar o Estudo n. 1 de Villa-Lobos em três partes, sendo a primeira uma contextualização histórica; a segunda, um olhar sobre todos os acordes que compõem o Estudo; e na terceira parte, estará em pauta o dedilhado da peça e a organização para um estudo mais eficiente. O conteúdo é distribuído em três vídeos, que se encerram com um encontro virtual entre aqueles que desejarem se inscrever. Os vídeos são postados às quintas-feiras, das 16h às 17h, entre os dias 12 e 26/11, e o encontro, que necessita de inscrição prévia, será no dia 27/11, sexta-feira, das 19h às 21h.

De forma gratuita, e sem necessidade de inscrição, a série O que é Música para Crianças busca incentivar a discussão e curiosidade no tema, com propostas de playlists no Spotify e Deezer de um repertório escolhido especialmente para o público infantil, com músicas de diversos gêneros, estilos e épocas, em diferentes recortes. A série vai do dia 29/11 ao 20/12, com postagens sempre aos domingos, às 11h.

Já em Papo Pop, voltado para jovens e adultos, Bozzo Barretti e Murilo Lima conversam sobre as transformações da música popular brasileira ao longo das décadas, destacando as canções icônicas de cada período. Serão abordados os fatos relevantes que influenciaram a criação dessas canções, desde o contexto histórico-político até os dispositivos disponíveis para as produções musicais, que também ditavam sonoridades. Com vídeos no Youtube do Centro de Música e playlists no Deezer e Spotify, as postagens acontecem de 7/11 a 12/12, sábados, às 18h .

•••

Para refletir sobre o fazer musical no Brasil, a série Música Brasileira em Pauta investiga aspectos culturais, históricos e pedagógicos da música nacional, com transmissões ao vivo pelo canal do Centro de Música do Sesc no Youtube . Os encontros são conduzidos pelos educadores do Centro de Música e realizados sempre às quintas-feiras, às 18h. Todo o conteúdo fica disponível on demand.

No mês de novembro, a série trouxe os temas Cantoria - Canto Coral, com Solange Assumpção, O choro em meados do século XX, com Pedro Beviláqua, e Criança e Música, com Clara Dum e Valdir Maia. O mês se encerra com o encontro Conversando Sobre Frevo, com Maestro Spok e Mauricio Narutis, que vai ao ar dia 26/11. Nele, o Maestro Spok conta a história da orquestra e conversa sobre tradição e contemporaneidade no Frevo.

Já em dezembro, a Música Brasileira em Pauta tem mais duas atividades programadas. No dia 3/12, será transmitido o encontro Música e artes em mediação tecnológica, com Renato Veras Baptista, educador do Centro de Música, e Thiago Ruiz, educador do Espaço de Tecnologias e Artes (ETA), do Sesc Vila Mariana. Juntos, eles propõem um debate sobre os modos de uso das tecnologias aplicadas aos processos criativos artísticos, quer sejam as práticas musicais, quer sejam práticas artísticas diversas que fazem uso de recursos tecnológicos. E no dia 10/12, o bate-papo Ensino coletivo de música: desafios e possibilidades, que tem como convidado o regente e arranjador Samuel Kerr, aborda temas como o ensino e aprendizagem de práticas musicais coletivas, no passado e no presente, a trajetória musical de Samuel e sua atuação no Centro de Música do Sesc. Apresentação e mediação: Renata Celano, técnica de programação em música e diversidade do Sesc Consolação.

•••

+ CENTRO DE MÚSICA DO SESC SÃO PAULO

Os Centros de Música do Sesc são espaços para fazer, ouvir, conhecer, aprender e pensar a música. Sua história remete a uma trajetória de mais de 40 anos de experiência na formação de artistas, de plateias, de educadores, e no desenvolvimento de novas experiências em torno da pedagogia musical. Ao longo de sua trajetória, desenvolveu propostas de ensino que privilegiam a prática coletiva, a convivência criativa, a experimentação e a democratização do acesso ao fazer musical. São três unidades na Grande São Paulo, com mais de 1300 vagas ofertadas ao público semestralmente, em atividades como cursos, oficinas, práticas de conjunto e vivências para diferentes idades e níveis de conhecimento musical.

•••

+ PROGRAMAÇÃO DEZEMBRO

• Workshop de Frevo com o Maestro Spok
Com Inaldo Spok Cavalcante de Albuquerque (SpokFrevo Orquestra/PE)
Dias 01, 03 e 08/12. Terças e quinta-feira, das 19h às 20h30.
Plataforma: Zoom
Vagas: 80
Público: estudantes, pesquisadores, professores de música e interessados em geral.
Valores: R﹩55,00 (Inteira), R﹩27,50 (Meia) e R﹩16,50 (Credencial Plena)
Inscrições a partir de 25/11 (Credencial Plena) e 26/11 (todos os públicos) em sescsp.org.br/ centrodemusica.

Neste workshop ministrado pelo Maestro Spok, o público terá uma noção sobre os principais aspectos que caracterizam o frevo como identidade cultural pernambucana. Sua história, suas peculiaridades musicais e um passeio pela trajetória da SpokFrevo Orquestra.

Primeiro dia: A história do frevo. Principais raízes musicais do frevo. Modalidades do frevo. Maestros: os Sete Corações. Frevo: Patrimônio Imaterial da Humanidade. Celebração: 100 anos de Frevo. Orquestrão, a maior Orquestra de Frevo do mundo. Novos compositores e o futuro do Frevo

Segundo dia: Peculiaridades musicais do frevo. "Solando Frevo" - uso das partituras contidas no livro do Maestro Spok. O frevo na prática - tocando com o Maestro Spok.

Terceiro dia: A SpokFrevo Orquestra: início e formação. História. Turnês internacionais. O frevo nos maiores festivais de jazz do mundo. Do Frevo ao Jazz - a visita de Wynton Marsalis com a Jazz at Lincoln Center a Recife.

Maestro Spok
Inaldo Spok Cavalcante de Albuquerque, natural de Igarassu, começou na música aos 13 anos. É considerado o caçula entre os principais maestros do frevo pernambucano. No final dos anos de 1980, passou a estudar no Centro de Criatividade Musical do Recife (CPCMR) e pôde trabalhar com os mestres do gênero, como José Menezes, Guedes Peixoto, Nunes, Clóvis Pereira, Duda, Edson Rodrigues, Ademir Araújo. Nos anos de 1990, em meio à ebulição musical que ocorreu na cidade, Spok enxergou outros horizontes. Entendeu que a liberdade deveria ter lugar assegurado na sua música. É, há quase 20 anos, instrumentista, arranjador e diretor musical da SpokFrevo Orquestra.

Além disso, integrou bandas de grandes artistas brasileiros, como Fagner, Elba Ramalho, Alceu Valença e Antônio Nóbrega. Já recebeu como convidado em seus shows artistas como Sivuca, Léo Gandelman, Lenine, Gal Costa, Edu Lobo, Ney Matogrosso, Wanessa da Mata, Geraldo Azevedo, Moraes Moreira, Zé Ramalho, Ivete Sangalo, Daniela Mercury, Emilio Santiago e Paulo Miklos.

Com três discos lançados ("Passo de Anjo", "Ninho de Vespa" e "Frevo Sanfonado") e um DVD ao vivo, "Passo de Anjo Ao Vivo", a SpokFrevo Orquestra tornou-se referência da música instrumental brasileira, elevando o frevo ao seu status merecido. Em 2007, foram convidados pelo diretor musical Carlos Fernando para serem a orquestra a acompanhar todos os artistas que compuseram o álbum duplo em homenagem ao centenário do Frevo "100 anos de Frevo - É de Perder o Sapato". Gilberto Gil, Maria Betânia, Lenine, Luiz Melodia, Maria Rita e Edu Lobo são alguns dos intérpretes convidados.

Com a SpokFrevo Orquestra conheceu o mundo. Tamanha experiência o fez ser convidado para ministrar palestras, realizar participações especiais em orquestras sinfônicas, desenvolvendo projetos especiais como o espetáculo "A História do Frevo", no qual Adelson Silva (baterista) o acompanha. Para além da música, Spok já coproduziu três projetos cinematográficos: "Sete Corações", "O Orquestrão - A maior Orquestra de Frevo do Mundo", ambos já lançados, e "Do Frevo ao Jazz", em fase de finalização.

A educação é também um marco na sua trajetória. Na intenção de transformar a vida, a história de crianças e adolescentes que vivem em áreas de vulnerabilidade social, o maestro mantém, há três anos, o Instituto Passo de Anjo, na sua cidade, Abreu e Lima. Um instituto sem fins lucrativos, onde se trabalha a música, a dança, as artes cênicas e o canto.

• Gêneros Musicais
Com Márcio Guedes
Dia 11/12. Sexta-feira, às 20h.
Plataforma: Zoom
Vagas: 25
Público: interessados em geral.
Valores: R﹩35,00 (Inteira), R﹩17,50 (Meia) e R﹩10,50 (Credencial Plena)
Inscrições a partir de 25/11 (Credencial Plena) e 26/11 (todos os públicos) em sescsp.org.br/centrodemusica

O que está por trás de conceitos como samba, choro, baião, jazz, pop ou rock? Quando e por que uma prática musical pode ser classificada como um gênero? O que é gênero musical? Buscando refletir sobre essas e outras questões quanto ao conceito de gênero em música, Marcio Guedes faz uma abordagem interdisciplinar sobre as práticas musicais nos âmbitos da música popular e erudita.

Márcio Guedes
Possui doutorado em Música: Relações Interdisciplinares pelo Instituto de Artes da Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho, Unesp (2018), mestrado em Música: musicologia / etnomusicologia pelo Instituto de Artes da Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho, Unesp (2007) e graduação em Educação Artística com Licenciatura Plena em Música pela Faculdade de Artes Alcântara Machado (2002). É co-organizador e coautor dos livros "Protagonistas do ensino musical e suas trajetórias" (Ed. Cartago, 2018) e "Anais do Primeiro Encontro Científico de Música e Interdisciplinaridade: O Híbrido no ensino e nas atividades artístico musicais" (Cultura Acadêmica, 2015).

• Curso: Conhecendo o Estudo N. 1 de Villa-Lobos
Com Mayki Fabiani
De 12 a 26/11. Quintas-feiras, das 16h às 17h.
Plataforma: Youtube.
Dia 27/11, de 19h às 21h. Encontro pela Plataforma Zoom.
Vagas: 30.
Público: estudantes de violão e interessados em geral.
Valores: R﹩35,00 (Inteira), R﹩17,50 (Meia) e R﹩10,50 (Credencial Plena)
Inscrições a partir de 25/11(Credencial Plena) e 26/11(todos os públicos) em sescsp.org.br/centrodemusica

O curso busca detalhar o Estudo n. 1 de Villa-Lobos em três partes, sendo a primeira uma contextualização histórica. Nesta parte comentaremos brevemente a respeito da vida e da obra de Villa-Lobos. Na segunda parte, conheceremos todos os acordes que compõem o Estudo n1, e na terceira parte trabalharemos o dedilhado da peça e falaremos da organização para que os interessados possam estudar de maneira eficiente. Além dos vídeos, haverá um encontro virtual com os integrantes do curso, para uma conversa sobre o Estudo n. 1.

Na década de 1920, o compositor brasileiro Heitor-Villa Lobos escreveu 12 estudos para violão e os dedicou ao renomado violonista Andres Segovia, a quem conhecera em 1923, em Paris. Há evidências de que o espanhol teria menosprezado as obras do brasileiro, hoje consideradas síntese do pensamento criador de Villa-Lobos, sobretudo o Estudo n. 1.

O objetivo pedagógico deste curso é trazer à luz conceitos históricos e práticos a respeito da obra de Heitor Villa-Lobos e oferecer uma orientação didática e prática sobre uma das obras mais icônicas para violão clássico. Do ponto de vista metodológico, pretende-se criar uma narrativa que se inicia na historicidade do Estudo n. 1, passando pela construção técnica baseada em peças do violão clássico que antecipam o estudo propriamente dito e, então, o desenvolvimento técnico do próprio estudo, discutindo os acordes e os dedilhados.

Serão produzidos três vídeos com duração de 15’ a 25’ e, após a publicação do último, será realizado um encontro pela Plataforma Zoom para que o público interessado conheça um pouco mais sobre o conteúdo da ação, de forma interativa.

Mayki Fabiani
Técnico em violão popular pela Fundação das Artes de São Caetano do Sul, bacharel em composição pela Faculdade de Artes Alcântara Machado, pós-graduado em docência pela FMU e mestre em educação, arte e história da cultura pela Universidade Mackenzie. É arte-educador, compositor e regente. Atualmente desenvolve atividade como produtor e guitarrista de diversas bandas e em 2018 lançou "Tempestade Brasileira". É educador na área de cordas dedilhadas no Sesc Vila Mariana desde 2014.

• O que é música para crianças
Com Educadores do Centro de Música
De 29/11 a 20/12. Domingos, 11h.
Plataforma: Facebook, Instagram, Deezer e Spotify
Vagas: aberto.
Público: pais e filhos.
Valores: Grátis
Inscrições: Não há

Série de playlists no Spotify e Deezer, elaboradas pelos educadores dos Centros de Música, com o intuito de incentivar a discussão e curiosidade no tema. O repertório escolhido contempla músicas de diversos gêneros, estilos e épocas, em diferentes recortes. A intenção é promover a expansão da paisagem sonora das famílias, e o aprofundamento do vínculo entre pais e filhos. Como complemento serão indicadas em postagens informações para uma escuta guiada.

• Papo Pop
Com Bozzo Barretti e Murilo Lima
De 7/11 a 12/12. Sábados, às 18h.
Plataforma: Youtube, com playlists no Deezer e Spotify.
Vagas: aberto.
Público: jovens e adultos, estudantes de música e interessados em geral.
Valores: Grátis
Inscrições: Não há
Bozzo Barretti e Murilo Lima debatem as transformações da música popular brasileira ao longo das décadas baseando-se em canções icônicas de cada período. Serão abordados os fatos relevantes das diferentes fases em que as canções apresentadas nasceram e que influenciaram suas criações, desde contextos histórico-políticos até os dispositivos disponíveis para as produções musicais e que ditavam sonoridades.

Bozzo Barretti
Produtor, compositor, arranjador e ex-tecladista do Capital Inicial. Trabalhou com centenas de nomes da nossa música, como Tim Maia, Toquinho, Zezé di Camargo e Luciano, Arrigo Barnabé, Wilson Simonal e muitos outros.

Murilo Lima
Começou sua carreira na Banda Rúcula, logo depois assumiu (entre 1993 e 1998) os vocais do Capital Inicial e tem uma vivência de shows solos há muitos anos, sendo figura icônica na Baixada Santista.

• Conversando sobre Frevo
Com Maestro Spok e Mauricio Narutis
Dia 26/11. Quinta, 18h.
Plataforma: C anal do Centro de Música do Sesc no Youtube.
Vagas: ilimitadas.
Público: todos os públicos
Valores: Grátis
Inscrições: Não há

A SpokFrevo Orquestra é um patrimônio da cidade de Recife (PE) e tem viajado o mundo difundindo esse ritmo centenário. O Maestro Spok conta a história da orquestra e conversa sobre tradição e contemporaneidade no frevo.

Maurício Narutis
Começou suas atividades musicais em grupos de práticas coletivas. Em 1986, ingressou no Conservatório Musical do Brooklin Paulista. Formou-se em trompete pela Universidade de São Paulo. Estudou com Reginaldo Farias, Gilberto Siqueira, Sérgio Cascapera, Naílson Simões e Edgar Baptista dos Santos (Capitão). Desde 1988 atua como professor de trompete, pesquisando sobre técnicas, tendências e metodologias. Já participou de projetos em CEUs, Emesp e Projeto Guri Santa Marcelina. É educador do Centro de Música do Sesc Vila Mariana desde 2000.

Inaldo Spok Cavalcante de Albuquerque
Natural de Igarassu, começou na música aos 13 anos. É considerado o caçula entre os principais maestros do frevo pernambucano. No final dos anos de 1980, passou a estudar no Centro de Criatividade Musical do Recife (CPCMR) e pôde trabalhar com os mestres do gênero, como José Menezes, Guedes Peixoto, Nunes, Clóvis Pereira, Duda, Edson Rodrigues, Ademir Araújo. Nos anos de 1990, em meio à ebulição musical que ocorreu na cidade, Spok enxergou outros horizontes. Entendeu que a liberdade deveria ter lugar assegurado na sua música. É, há quase 20 anos, instrumentista, arranjador e diretor musical da SpokFrevo Orquestra, com a qual viaja o mundo e desenvolve projetos especiais de difusão do frevo. Com três discos lançados ("Passo de Anjo", "Ninho de Vespa" e "Frevo Sanfonado") e um DVD ao vivo, "Passo de Anjo Ao Vivo", a SpokFrevo Orquestra tornou-se referência da música instrumental brasileira, elevando o frevo ao seu status merecido.

• Música e artes em mediação tecnológica
Com Renato Veras Baptista e Thiago Ruiz
Dia 3/12. Quinta, 18h.
Plataforma: Canal do Centro de Música do Sesc no Youtube.
Vagas: ilimitadas.
Público: todos os públicos
Valores: Grátis
Inscrições: Não há

O encontro propõe um debate sobre os modos de uso das tecnologias aplicadas aos processos criativos artísticos, quer sejam as práticas musicais, quer sejam práticas artísticas diversas que fazem uso de recursos tecnológicos.

Ao longo do encontro, Renato Veras Baptista, músico e educador do Centro de Música, e Thiago Ruiz, artista e educador do Espaço de Tecnologias e Artes (ETA), ambos do Sesc Vila Mariana, irão conversar sobre suas práticas artísticas autorais, estabelecendo proximidades e distanciamentos entre seus processos criativos e os campos da música, da arte, e da tecnologia.

Desse modo, o encontro pretende gerar uma breve reflexão sobre a arte (do latim ars; maneira de proceder; qualidade; habilidade; artifício etc.) como expressão dos sentimentos e anseios que marcam inúmeros momentos da humanidade, e a tecnologia (do grego techné; que nomeia um modo de saber), cujo desenvolvimento se entrelaça e encontra-se presente nas ações humanas, perfazendo também o campo da invenção e da criatividade. Este é o ponto de partida do debate. Quantas outros atravessamentos de sentido são possíveis nesse tema tão amplo?

Renato Veras Baptista
Pós-graduado em Semiótica, sob orientação do professor Norval Baitello Júnior, na PUC-SP. Foi pioneiro no ensino e estudo de MIDI e programação de sintetizadores, tendo sido aluno de Lucas Shirahata, Jorge Poulsen e Conrado Silva. É professor de instrumentos de madeira no Sesc Vila Mariana desde 1998, participando também dos cursos infantis. Tem formação em flauta transversal com Toninho Carrasqueira, clarinete e saxofone com Hector Costita, manutenção de instrumentos com José Augusto e arranjo com Nelson Ayres.

Thiago Ruiz
É artista e investiga diferentes modos de trabalhar com o som nas Artes Visuais. Bacharel em Artes Visuais pelo Centro Universitário Belas Artes de São Paulo, atualmente é mestrando em Processos e Procedimentos Artísticos, com orientação do Prof. Dr. Agnus Valente, pelo Instituto de Artes da Unesp (Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho), em São Paulo/SP. É educador do Espaço de Tecnologias e Artes (ETA) do Sesc Vila Mariana.

• Ensino coletivo de música: desafios e possibilidades
Com Samuel Kerr e Renata Celano
Dia 10/12. Quinta, 18h.
Plataforma: Canal do Centro de Música do Sesc no Youtube.
Vagas: ilimitadas.
Público: todos os públicos
Valores: Grátis
Inscrições: Não há

O bate-papo, que tem como convidado o regente e arranjador Samuel Kerr, aborda temas como o ensino e aprendizagem de práticas musicais coletivas, no passado e no presente, a trajetória musical de Samuel e sua atuação no Centro de Música do Sesc. Apresentação e mediação: Renata Celano, técnica de programação em música e diversidade do Sesc Consolação.

Samuel Kerr
Samuel Kerr tem conduzido sua carreira musical ao som da voz cantada, seja como regente, arranjador, organista ou professor. Dentre seus trabalhos corais estão os realizados à frente do Coral da 3ª Igreja Presbiteriana Independente de São Paulo, Coral Paulistano do Teatro Municipal de São Paulo, Coral da Unesp, por ele criado, Cia Coral, Associação Coral Cantum Nobile, Coral dos Estudantes de Medicina da Santa Casa de São Paulo, Madrigal Psichopharmacom e muitos movimentos corais por ele liderados. Foi também Diretor da Escola Municipal de Música de São Paulo, Regente da Orquestra Sinfônica Jovem Municipal de São Paulo e Professor do Instituto de Artes da Unesp. Atualmente tem participado dos Painéis Funarte de Regência Coral.

Renata Celano
Jornalista graduada pela Faculdade Cásper Líbero e pós-graduada em Gestão no Terceiro Setor, pela Faculdade SENAC. Suas áreas de atuação prioritárias são cultura popular, raça e educação pública. Em paralelo ao jornalismo, canta profissionalmente há 34 anos. Estudou canto lírico e popular com Lenice Priolli (Universidade Livre de Música), Beth Amin, Baldur Liesemberg e Adélia Issa (CoralUSP). Integrou diversos grupos vocais, como o Beijo/CoralUSP (1991 a 1996) e o quarteto Happy Hour (1992 a 2002), e em ambos os grupos gravou CDs que foram indicados ao Prêmio Sharp como melhor grupo vocal. Integrou a equipe de técnica vocal do CoralUSP (1993 a 1996). Canta desde 2010, como solista, no grupo Camará, voltado para a interpretação de um repertório inspirado na dança de salão.

•••

MÚSICA #EMCASACOMSESC
A programação de shows do Sesc São Paulo na internet está no ar desde 19 de abril, com apresentações de importantes nomes da música brasileira, nos mais variados estilos. Com shows às terças, quintas, sextas e sábados, direto da casa dos artistas ou de palcos das unidades, a programação já realizou 197 apresentações que somam mais de 5 milhões de visualizações.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Sampa Com Crianças no Instagram