Itaú Cultural comemora o mês das crianças com ampla programação online de teatro, dança, cinema de animação e oficinas

Durante todo o mês de outubro, uma vasta programação permeia as comemorações do Itaú Cultural ao Dia as Crianças. Sem precisar sair de casa, o público mirim pode  acompanhar pelo site e canal do Youtube da organização (www.itaucultural.org.br e www.youtube.com/itaucultural), e de outras plataformas digitais, atividades que integram  desde ações especiais, como a mostra de animação Cine Curtinhas e a série de vídeos Brincantinho Conta Histórias, a partir do dia 1 de outubro (quinta-feira), até espetáculos transmitidos ao vivo nos sábados e domingos, na grade do Palco Virtual, e uma edição especial do  Festival Arte como Respiro – Cênicas, que do dia 12 ao 16 (segunda-feira a sexta-feira) disponibiliza sete trabalhos de diferentes estados, cada um permanecendo no ar durante 24 horas. 



Toda a ação é costurada, também de forma online, por oficinas, atividades e aulas artísticas e culturais, conduzidas por convidados e pela equipe do Núcleo de Educação e Relacionamento do Itaú Cultural.


Cine Curtinhas

De 1 a 20 de outubro (quinta-feira a terça-feira), o site do Itaú Cultural exibe a mostra de filmes Cine Curtinhas. Realizada presencialmente no instituto desde 2014, com a proposta de estimular o contato das crianças e pais com o universo do cinema, dessa vez a mostra segue as orientações de suspensão social e acontece em streaming. Ela reúne sete curtas-metragens brasileiros feitos com diversas técnicas de animação, das tradicionais às digitais. Todos os filmes têm legendas e interpretação em Libras. 


A animação Hornzz, premiada no Festival Skiptown Playhouse de Los Angeles, nos Estados Unidos, tem direção de Lena Franzz e leva o público a refletir sobre as escolhas feitas na vida, acompanhando os desafios da menina Lu, que viaja por experiências únicas, em cenários lúdicos. Iemanjá Yemojá: A criação das ondas, de Célia Harumi Seki, por sua vez, conta a história da Rainha do Mar, que recebe de Olodumare o poder de devolver à terra as sujeiras jogadas pelos homens na água.


Dirigida por Anahí Borges, As Aventuras de Pety parte da história de Pety e seus amigos, que ao irem para o bosque da cidade acabam vivendo aventuras com seres do folclore brasileiro e descobrindo que o verdadeiro tesouro está mais próximo do que se imagina. 


Em Eric Acorde, do diretor Telmo Carvalho, um menino de 10 anos usa sua caixinha de música mágica para enfrentar o metamórfico Pierrô e manter a harmonia dos mundos. Em Gabi, de Claudio Furton, os espectadores acompanham a saga de uma garota, que descobre um mundo novo após uma queda de energia. O problema é que, quando não se está no ambiente digital, criar amizades pode ser um desafio.


No filme Dalivincasso, os diretores Marcelo Castro e Marlon Tenório contam o mistério em torno de um quadro que chega ao museu em uma noite chuvosa: ao respingar água sobre a pintura, criaturas são libertadas e saem interferindo em todas as obras. Quem encerra a grade de filmes é Macacada, de Thomas Larson. Nele, um menino solitário sonha com voos cada vez mais altos e, com a ajuda dos macacos, descobre novas formas de brincar e de perceber o mundo.


Palco Virtual Brincantinho

É também no dia 1 de outubro (quinta-feira) que o Itaú Cultural dá início às atividades dedicadas às crianças dentro da programação Palco Virtual. Nesse dia estreia Brincantinho Conta Histórias, uma ação especial nascida da parceria entre o Itaú Cultural e o Instituto Brincante, que coloca no ar uma série de oito vídeos com encontros lúdico-educativos. O conteúdo fica permanentemente disponível no site da instituição, para ser assistido a qualquer hora.


Com duração de aproximadamente 25 minutos, os vídeos reúnem músicas, danças e contação de histórias em jogos e brincadeiras para o público vivenciar narrativas da cultura popular brasileira e da infância. À frente das contações estão quatro arte-educadoras do Brincante: a educadora e escritora Cris Velasco, a artista Flora Barcellos, a cantora, musicista e educadora musical Marina Siqueira e a dançarina-intérprete e percussionista Mika Rodrigues.


Sonho do Jabuti, um dos dois vídeos da série conduzidos pelas manifestações culturais das festas juninas, mescla músicas e danças da cultura brasileira, com enfoque nos cacuriás do Maranhão. A Festa no Céu parte de um conto de tradição oral e convida as crianças a também experimentarem, por meio de canções e brincadeiras de bichos, ritmos como coco, catira e o próprio cacuriá, característicos do período junino.


O carnaval é a base de O Macaco e A Lua, no qual a história é contada usando elementos do maracatu, manifestação carnavalesca do nordeste brasileiro. O ciclo natalino, por sua vez, é o ponto de partida de Cavalo Marinho, vídeo inspirado na manifestação cultural pernambucana de mesmo nome. Ele apresenta algumas das figuras que compõem esse folguedo, abordando a sua construção e o relacionando com brincadeiras da cultura da infância.  


Com uma narrativa que conduz as crianças a experimentarem diferentes atmosferas e cenários,

Espelho Mágico é baseado nas brincadeiras tradicionais da cultura brasileira e de matriz ibérica. Essa é também o ponto de partida de Dom Maracujá, que adapta um conto tradicional brasileiro reunindo elementos com enfoque nas cantigas e brincadeiras da cultura ibero-brasileira.


A matriz indígena também está presente no conteúdo, em As Serpentes que Roubaram a Noite. Adaptação de história homônima do livro As serpentes que roubaram a noite e outros mitos, de Daniel Mundukuru, ela apresenta cantos de trabalho e acalantos brasileiros. Iemanjá, por sua vez, representa a matriz africana na série, com um repertório de cantigas, brincadeiras e danças criadas da relação do ser humano com o mar, recriando este mito tradicional africano.


Palco Virtual ao vivo

Além de Brincantinho Conta Histórias, a programação do Palco Virtual apresenta, nos finais de semana, às 15h, transmissões online ao vivo de espetáculos para os pequenos. Estas lives acontecem pela plataforma Zoom e é necessário reservar ingressos pela Sympla. Um passo a passo indicando como fazer esta reserva e acessar o espetáculo encontra-se em www.itaucultural.org.br .


Quem abre esta grade de outubro, nos dias 3, 4, 10 e 11, é Carroça de Mamulengos A Brincadeira Continua... O espetáculo é realizado em dois atos, apresentados respectivamente no sábado e no domingo, mas que também podem ser assistidos separadamente. Trata-se de um encontro da tradicional família circense Gomide com o público por meio da câmera. Em tempos de quarentena, a proposta dessa reunião é puramente a de brincar, só que agora na “nuvem”. 


Nesses quatro dias de apresentação, para esquentar a garotada antes de começar o espetáculo, é exibido o curta-metragem Ana e o Sabirim, também da Carroça de Mamulengos. Nele, Sabirim – uma mistura de sabiá com “canarim” – é o passarinho de Ana, feito pelo vovô Babau, que adora fazer bonecos. 


Nos finais de semana de 17, 18, 24 e 25 (sábados e domingos), a programação traz a Cia Truks em E se as Histórias Fossem Diferentes? Utilizando uma técnica que mistura personagens com desenhos produzidos ao vivo, bonecos de sombras contam duas divertidas histórias que falam, com muito bom humor, sobre importantes temas de nossa contemporaneidade.


A apresentação do último final de semana do mês é do Grupo Trupe de Truões com Ivan e o Pássaro de Fogo nos dias 31 de outubro e 1 de novembro. Nela, Rique e Luque saem pelo mundo em busca de histórias para contar, até que um dia se deparam com uma árvore que tem como frutos guarda-chuvas. Sentados sob sua sombra, os dois guardam entre suas raízes, a história de um rapaz russo que, interessado no mistério do pássaro da pena de fogo, parte em busca da conquista da sábia Ielena. 


Festival Arte como Respiro

Na semana do Dia das Crianças, o Itaú Cultural oferece ao público cinco dias seguidos de programação especial do Festival Arte como Respiro – Edição Cênicas dedicada à criançada. 


De 12 a 16 de outubro (segunda-feira a sexta-feira) são exibidos no site do Itaú Cultural sete espetáculos produzidos por grupos de Minas Gerais, Paraná, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte e São Paulo. Todos foram contemplados no edital realizado pela instituição, no início da suspensão social, Arte como Respiro – múltiplos editais de emergência. Ficando disponíveis por 24 horas para serem assistidos virtualmente, eles abordam de forma lúdica questões como tolerância, respeito e sentimentos como a solidão.


Seu Lobato em: Hoje é dia de festa! abre este festival no dia 12, às 15h. Nesse teatro de manipulação criado pela dupla carioca Júnior Pontes e Brenda Curitiba, Seu Lobato, ao se sentir entediado e sozinho em seu sítio, convida todos os bichos para uma festa. Em seguida, entra no ar Som das Cores, da companhia mineira de teatro de bonecos Catibrum. Baseado no livro homônimo de Jimmy Liao, conta a história de uma jovem que, ao perder a visão, pensa que seu cachorro fugiu com seus olhos e sai em busca deles, enfrentando seus medos e inimigos.


O dia 13 abre com a contação de história O Rouxinol e a Imperatriz, do Coletivo Bassusseder, de São Paulo. A história faz reflexões bem-humoradas sobre nossos valores diante do medo, indicando como a apreciação da natureza e as relações de fidelidade são ações transformadoras.  Por sua vez, o Grupo de Teatro Clowns de Shakespeare, do Rio Grande do Norte, exibe o Abrazo. Em um lugar em que não é permitido abraçar, personagens atravessam um quadrado contando histórias de encontros, despedidas, opressão, exílio, afeto e liberdade.


De 14 a 16 de outubro, o festival apresenta um espetáculo por dia. No primeiro, Achados & Perdidos, da paulista Cia de Feitos, trata de solidão ao contar a história de um garoto que se propõe a fazer uma longa viagem ao polo sul, perdendo sua própria história, para devolver um pinguim à sua terra natal. No segundo, Entre Janelas, do grupo Tato Criações, do Paraná, um garoto que esqueceu do seu melhor amigo, o cachorro Pitu, ao ganhar um computador, tem que descobrir como reconectar-se ao seu velho amigo. O último dia fica à cargo da Ó1É Cia de Dança, de São Paulo, com sEUss, inspirada numa obra do escritor e cartunista norte-americano Dr. Seuss e que mostra que a travessia da vida precisa ser encarada com otimismo e diversão.


Oficinas e aulas

Outubro reserva, ainda, uma série especial de atividades para crianças, dando continuidade às ações virtuais que o Itaú Cultural vem realizando desde o início da suspensão social.


Neste mês, a programação Experiencia Virtual, que leva para o ambiente digital as vivências realizadas nas exposições da instituição, conta em todos os sábados com as oficinas O que tem no seu Mar, Que Animal Você Seria, Cantando na Chuva e Voa, Voa Passarinho. As inscrições para a primeira podem ser feitas até às 16h do dia 9 de outubro (sexta-feira), para as duas seguintes elas começam no dia 25 de setembro (sexta-feira) e para a última do mês, em 9 de outubro. Todas pelo site do Itaú Cultural (www.itaucultural.org.br) mediante preenchimento de formulário.


Os sábados também abrigam a oficina de Sensibilização Musical para Bebês, conduzidas por Luciana Nagumo. Composta por encontros de 30 minutos com um grupo de até cinco bebês de no máximo 2 anos, junto com os pais ou acompanhantes, a programação dá início às inscrições no dia 30 de setembro, também pelo site da instituição.


Acompanhando todas essas ações, o IC para Crianças segue com sua grade semanalmente de atividades, para as crianças aprenderem e se divertirem em casa junto com a família. Às segundas-feiras, a aula é de vivências musicais, às terças-feiras de criação, e às quartas-feiras e domingos de dança. Já as sextas-feiras são da Expedição Brasiliana, com conteúdo voltado ao público infantil e criado a partir da coleção Brasiliana Itaú. Os vídeos entram no ar sempre às 11h, no site e também no Youtube do Itaú Cultural (www.youtube.com/user/itaucultural).



Itaú Cultural

www.itaucultural.org.br

www.twitter.com/itaucultural

www.facebook.com/itaucultural

www.youtube.com/itaucultural



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Sampa Com Crianças no Instagram